Você sabe a diferença entre APLV e Intolerância à Lactose ??

Asics Golden Run São Paulo 2016 – Minha 4ª meia maratona – Superando todas dificuldades !
01/08/2016
Você já ouviu falar da Palatinose ? O super carboidrato que pode te ajudar a perder gordura !!
13/08/2016
Exibir tudo

Mamães do mundo moderno, quem aqui nunca ouviu do pediatra a suspeita de que seu filho tinha alergia a proteína do leite de vaca, ou ainda intolerância à lactose ?

Mas o que será que está acontecendo?

Nós, crianças dos anos 80 e 90 não sofríamos desses males, porque nossos bebês estão assim ?!!

Uma teoria é a de que hoje os bebês estão abandonando o leite materno cedo demais e partindo para o leite em pó antes mesmo do seu sistema digestivo estar preparado para receber esses alimentos externos !

A natureza é sábia, e nossos bebês não precisam de nada além de leite materno até pelo menos os 6 meses de idade, nem mesmo água !!! Esse é o tempo para que seu sistema digestivo esteja pronto para receber os alimentos externos, e dessa forma os digerir de forma adequada.

Agora vamos entender a diferença entre Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV) e Intolerância à Lactose (IL) !!

Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV)

A APLV atinge o sistema imunológico, desencadeando reações contra o antígeno, que, neste caso, são as proteínas do leite de vaca gerando sinais e sintomas após a ingestão do alimento.

O agente responsável por toda essa reação são proteínas do leite de vaca, tais como a caseína, -lactoglobulina, -lactoalbumina, soroalbumina, imunoglobulinas. Embora sejam alimentos construtores e o organismo tenha a capacidade de digeri-las, as proteínas do leite por vezes não são reconhecidas pelo sistema imune, provocando assim o desenvolvimento de alergias. Tal situação passa, então, a ser diagnosticada como alergia à proteína do leite de vaca, acarretando a necessidade de terapia nutricional.

Uma criança com APLV pode ter diversas manifestações diferentes, como é o caso de dermatite atópica, urticária, vômitos, diarréia, gastrite eosinofílica (gastrite onde temos em conjunto um processo inflamatório das células eosinofílicas), proctite (evacuações com muco e sangue), asma, rinite…

O tratamento nestes caso se resume na retirada da alimentação de todos os alimentos derivados do leite, ou que contenham leite em sua composição tanto quanto o próprio leite.

Normalmente a criança que é diagnosticada com APLV no primeiro ano de vida ou no máximo até os 3 anos.

Intolerância à Lactose (IL)

Na IL o causador é a lactose, o “açúcar do leite de vaca”, que, na ausência da ação da enzima lactase, não ocorre consequentemente a absorção da lactose, a qual se acumulará resultando em desconfortáveis reações gástricas como diarréia e flatulências.
Em torno de 75% da população mundial ocorre a intolerância à lactose, que é uma das principais substâncias do leite. Esta patologia se caracteriza pela falta da ação da enzima lactase, que é responsável por hidrolisar a lactose em glicose e galactose.

Um estudo realizado no Brasil demonstrou que mais de 27 milhões de habitantes
apresentam má absorção da lactose, sendo principalmente por determinação genética.

atilatte.giuli.pansera.g-realfit

Neste caso o consumo de leite e derivados zero lactose são permitidos sem causar qualquer desconforto ou dano à saúde da criança, principalmente os iogurtes que são boas fontes de lactobacilos, cálcio e proteínas.
Uma marca que eu gosto muito pela qualidade dos produtos e por terem a linha Zero Lactose é a Atilatte, uso bastante aqui em casa e inclusive dou para meu filho de 3 anos.

Uma boa ideia é bater o iogurte natural com alguma fruta, fica super saudável e as crianças adoram !!!

iogurte zero lactose batido com frutas giulirp

Sucintamente, essas duas condições são comumente confundidas por profissionais da área da saúde, por apresentarem semelhanças, como a origem proveniente do leite de vaca, mas se diferem quando comparadas detalhadamente e quanto ou diagnóstico, sintomas e às restrições a serem feitas na alimentação.

Lembre-se que não devemos eliminar nada da nossa dieta a menos que realmente tenha sido feito um exame e confirmado o diagnóstico de alergia, quando eliminamos alguns tipos de alimentos sem necessidade de forma radical podemos acabar por desenvolver um tipo de intolerância que não possuíamos anteriormente.

Procure sempre um médico para fazer seu diagnóstico e tratamento de forma adequada !!

giuli.pansera.gabriel.pansera.g-realfit.atilatte.zerolactose

Por Dra. Giulianna Pansera

 

1 Comentário

  1. sara fernandes floriano de oliveira disse:

    meu bebe (2,5 anos rs) tem intolerancia… nunca tinha entendido…. ele mamou pouco no peito infelizmente…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *