Consumo de gorduras não é responsável por aumento de mortes por eventos cardiovasculares

6 dicas para acelerar seu metabolismo sem remédios !
14/10/2017
Kefir ajudando a diminuir o colesterol LDL
01/11/2017

Consumo de gorduras não é responsável por aumento de mortes por eventos cardiovasculares

Desde de criança escutamos que gordura faz mal, faz aumentar o colesterol, consequentemente aumenta suas chances de morrer ” do coração” , mas há alguns anos alguns médicos vêm contestando isso e recentemente tivemos a comprovação de que não é bem assim !

Foi publicado em uma das revistas médicas mais respeitadas do mundo, The Lancet, um trabalho de grande relevância que estudou indivíduos entre 35 – 70 anos (inscritos entre 1 de janeiro de 2003 e 31 de março de 2013) em 18 países com um acompanhamento médio de 7,4 anos (IQR 5 · 3-9 · 3). A ingestão dietética de 135. 335 indivíduos foi registrada usando questionários de frequência de alimentos validados.

Foram avaliados as associações entre o consumo de carboidratos, a gordura total e cada tipo de gordura com doença cardiovascular e mortalidade total. 

E indo contrário ao que a maioria das pessoas sempre pensou até hoje os resultados mostraram que durante o acompanhamento, foram documentados 5.796 óbitos e 4.784 grandes eventos de doenças cardiovasculares, sendo que:

  •  A ingestão mais alta de carboidratos foi associada a um risco aumentado de mortalidade total, mas não com o risco de doença cardiovascular ou mortalidade por doenças cardiovasculares.
  • A ingestão de gordura total e cada tipo de gordura foi associada com menor risco de mortalidade total.
  • Uma maior ingestão de gordura saturada foi associada a menor risco de acidente vascular cerebral.
  • Gordura total e gorduras saturadas e não saturadas não foram significativamente associadas ao risco de infarto do miocárdio ou mortalidade por doenças cardiovasculares.

Ou seja, a partir desse trabalho teremos grandes mudanças nas indicações e prescrições de dietas, afinal ele nos mostrou que o que pensamos que era o “mocinho” não é tão mocinho assim e o que pensávamos que era um “super vilão” estava levando a culpa que não era totalmente dele !

 

Trabalho na íntegra aqui : http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(17)32252-3/fulltext

2 Comentários

  1. Desde que iniciei minha reeducação alimentar venho estudando sobre isso.
    E como ainda tem muitas pessoas que não fazem a ideia do que que realmente faz mau, e sentem panico por ter
    uma comida com bacon por exemplo.
    Parabéns pelo seu trabalho Dra. Giule. Adorei o post.

  2. Janaine Gertler Gunther disse:

    Que legal Dra. Giuli! Existem muitos estudos que vem mudando a forma de vermos e tratarmos os alimentos, parabéns pela matéria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *